segunda-feira, 20 de julho de 2009

Lagarto Preguiça





Apesar dos constantes massacres que vem sofrendo em função do impacto da agropecuária, a natureza insiste em se manifestar de maneira surpreendente em Itutinga. Este é um lagarto difícil de ser encontrado pela sua capacidade de se confundir com o ambiente, é preciso ter olhos de águia para percebê-lo, como os de André Ferreira da Silva, o astuto mateiro que o localizou em suas andanças com Pedrinho e Zinho.
O Lagarto Preguiça (Polychrus acutirostris) consegue mover os olhos independentemente e se arrisca a mudar de cor, embora de uma maneira um pouco acanhada; ele não domina a arte tão bem como o seu parente camaleão. Esta proeza é conseguida com o auxílio de cromatóforos, células de sua pele, com pigmentos, que se distendem ou se contraem alterando sua tonalidade.
É uma espécie diurna. Sua camuflagem e imobilidade são suas defesas, passa a maior parte do tempo imóvel para não ser percebida pelos predadores. Seus movimentos são muito lentos, até para capturar suas presas: grilos, gafanhotos, louva-a-deus, larvas, besouros, vespas, mas os vegetais também fazem parte de sua dieta.
Sua longa cauda é preênsil, ou seja, é utilizada para “segurar”, e também para sustentar o animal em suas “escaladas” por árvores e arbustos, pois é uma espécie arborícola que habita o cerrado nas regiões Nordeste, Centro-oeste e Sul do Brasil, mas ocorre também na Argentina, Bolívia, Paraguai e Uruguai.
Quando se sente ameaçada, a Preguiça se coloca entre o galho e o observador, para se esconder. Também pode abrir a boca ou inflar o corpo para parecer mais assustadora. Em situações mais extremas pode inflar o saco gular (do pescoço) ou até morder o visitante inoportuno. A mudança de cor é inevitável nessas ocasiões.
A reprodução da espécie ocorre de setembro a março, época de chuvas, com período de incubação dos ovos de cerca de 4 meses. Uma fêmea põe em média 18 ovos; cada ninhada varia de 7 a 31 ovos. Os filhotes nascem com 4 cm, atingem 7,5 cm ainda no primeiro ano de vida e, adultos, chegam a 15 cm, fora a longa cauda.
A nossa Preguiça não é considerada uma espécie em extinção, pois o cerrado brasileiro é muito vasto, mas em Itutinga está cada vez mais difícil observar um lindo bichinho desses.

6 comentários:

  1. gostaria de saber se pode ser manuseado,pois se apresenta algum risco de mordida, e se é perigoso.

    ResponderExcluir
  2. Não e nao um dia apareceu um em minha casa e eu o criei durante 4 anos era muito docel mais ja estranhou pessoas estranhas kkkk ele aki em minas ja esta em extinção ja não se ve mais nos serrados ele e um animal com muitos segredos quase um termômetro muda de cor de acordo com o clima ele e realmente incrível!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vc o alimentava? Há vários aqui em minha casa e queria alimentá-los para ficarem por perto...

      Excluir
  3. Olá, Meu nome é Hélio William de Franca SP
    eu encontrei um desses numa estradinha rural, com crianças judiando...gostaria de saber como cria-lo, lá q parece ser muito manso, gostaria de saber se tem algo q posso fazer para manuzea-lo, cuidados,comida, ambiente em que ele vive.
    Meu msn éh, h.william_007@hotmail.com.
    Me mandem um e-mail para me ajudar a criar essa raridade, já que tirei das mãos de crianças q nem imaginam tamanha crueldade q estavam cometendo rs
    Agradeço a atenção amigos.

    ResponderExcluir
  4. A criação de animais silvestres é crime. Entregue-o ao IBAMA.

    ResponderExcluir
  5. Oi gente meu nome é Milton e já fazem alguns bons anos que não me deparo com um animal desse e gostaria de saber se ele utiliza a língua como o camaleão para se alimentar ?? Fica aqui então um forte abraço para os amantes da natureza !!

    ResponderExcluir